terça-feira, 19 de maio de 2015

Mad Max - Estrada da Fúria


Só tenho uma palavra para a minha noite de cinema de sábado à noite: sofrimento. Não quer dizer que não tenha gostado do filme, porque posso dizer que embora não sendo o meu género de filme, gostei bastante da moral da história e essas coisas. Sofrimento porque ver aquilo na sala imax parece que sofremos com as personagens, e elas sofrem tanto senhor! Não é que tenha aquelas partes fantásticas em 3D que parece que estás dentro do filme mas de uma maneira geral acho que conseguiu que me envolvesse mais na história. Se não fosse em 3D provavelmente não tinha metade da piada. No entanto a sala imax foi uma desilusão para mim. Quando falavam em 4D pensava que teria qualquer coisa como experiência sensorial, como as cadeiras vibrarem por exemplo, mas não. Acho que o 3D é mais confortável, fiquei fã (só é pena o preço ser 10€ por pessoa sem descontos com o NOS card... mas para ir de vez em quando está ótimo).

sábado, 16 de maio de 2015

Beach


E hoje pela primeira vez em 2015 fiz um bocadinho de praia. E que bem que me soube... Com o M. em uma despedida de solteiro em parte incerta, agora temos cinema com as amigas. Vamos lá ver se o Mad Max no imax vai ser tão bom como promete.

terça-feira, 12 de maio de 2015

Experiência nova


VH boho // one teaspoon bonitas shorts

No fim de semana passado fomos usufrir de um fim de semana diferente, ainda prenda de casamento. Refiro-me a uma noite nas tendas Yurt O Homem Verde. Para quem não sabe do que se trata (eu nunca tinha ouvido falar), é uma espécie de campismo mas com mais charme e mais intimista. No fundo é completamente diferente do campismo tradicional, a única semelhança é o contacto com a natureza. Se quero voltar a repetir? acho que não. Mas foi um fim de semana diferente, dentro da tenda cria-se um ambiente mágico, e tive o meu M. só para mim o que é raro e sempre muito bom.

Mais uma vez o meu agradecimento ao St. Peter, sem a colaboração dele (esteve um solinho mesmo bom!) teria sido uma experiência bem menos agradável.

terça-feira, 5 de maio de 2015

Mudam-se os tempos

Knee high gladiator sandals

Já foi tempo que achavas ridículas as sandálias à gladiador. Também já foi tempo que não gastava nada delas. Agora? Gosto bastante de ver em quem tem umas pernas jeitosas como a menina da imagem. Ainda não vi ninguém com umas na rua, mas também aqui na terrinha não há propriamente a tendência de ver os últimos gritos da moda, é só gente conservadora. Neste momento era menina para usar umas, mas só comprava se fossem baratinhas, digamos que ainda não sei que uso lhes daria.

St. Peter, querido St. Peter


Depois da tempestade de ontem onde vi os meus móveis do terraço a levantar voo como ainda não havia visto esta temporada de inverno, no mínimo hoje esperava ver o sol... mas parece que não está fácil! É com com o tempo que tem feito, a juntar aos inúmeros jantares que tive a semana que terminou e o fim de semana de laró já não corro desde segunda feira passada. E estou desesperadamente a precisar de abater calorias, sê amiguinho St. Peter vá lá....

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Fim de semana no Douro

Como sabem a semana que terminou estive de férias. Férias que estavam planeadas desde o início do ano para uma ida a Andorra, ou Serra de Nevada, ou qualquer lado que houvesse neve. Devido ao atraso do exame do M. as férias na neve foram canceladas mas não me dava jeito cancelar as minhas férias, e além disso estava a precisar de uma pausa. Com a viagem à neve cancelada, surgiu a ideia de aproveitar o fim de semana prolongado no Douro, com alguma da família do meu querido marido. E foi muito, mas muito bom. Quem tem o prazer de conhecer a Zona Demarcada do Douro sabe que vale a pena só pela paisagem de cortar a respiração. Mas bom,  no primeiro dia fomos a Favaios, mais propriamente ao Museu do Pão e do Vinho, onde fomos muito bem recebidos com um pequeno almoço muito caloroso, seguido da visita pelo museu e uma caminhada por Favaios onde tivemos a oportunidade de ver uma padaria com fabrico tradicional de pão, conhecer as raízes e a origem da Vila (?) e que terminou na Adega Cooperativa de Favaios onde provamos o tão afamado Moscatel de Favaios.

 
 
Adoro estas casas antigas e as histórias que elas têm para contar. 


Depois da  manhã bem passada em Favaios, que devido a um erro demográfico há centenas de anos atrás não faz parte da zona demarcada do Douro, seguimos viagem até Pereiros uma pequena, mas pequena mesma, aldeia do interior de São João da Pesqueira. Fomos muito bem recebidos pela D. Lídia que no seu pequeno restaurante nos serviu um delicioso cozido à portuguesa e nos levou numa visita guiada pela aldeia xistosa de Pereiros. É incrível ver como vivem aquelas povoações... a diferença entre o litoral e o interior do nosso país é enorme. Em Pereiros, com cerca de 50 habitantes, vivem em comunidade e felizes, pelo menos pareceu.
 


 
 Aqui é o forno comunitário da aldeia. Nele é onde as senhoras se juntam para fazer o pão.
De seguida, e a tarde já ìa longa, fomos para o nosso alojamento, a Quinta das Herédias, um turismo rural com um anfitrião muito peculiar mas que nos recebeu muito bem. Um excelente local para passar uns dias em paz numa das regiões mais bonitas de Portugal. Em caminho ainda visitamos o Miradouro São Salvador do Mundo que nos deu uma das vistas mais bonitas da região.




No segundo dia, sábado, tivemos a sorte de o meu querido St. Peter ter sido um fofo e ter estado um maravilhoso dia de primavera. De manhã fomos até ao Pinhão apanhar o barco que nos levou até ao Tua. Esta viagem de barco no rio Douro é uma coisa "obrigatória" para quem visita a região. Na chegada ao Tua almoçamos no famoso restaurante  Calça Curta onde provei os famosos peixinhos de rio e onde se come divinalmente. (Ganhei seguramente 2kg este fim de semana.) A viagem de regresso ao Pinhão foi feita de comboio. As estações de caminhos de ferro do Tua e do Pinhão são lindas e representativas do que os comboios significaram para aquela região. 
 
 
 
 
No regresso ao Pinhão tivemos o momento alto do fim de semana, a visita à Quinta das Carvalhas. O guia que tivemos, o Eng. Álvaro, transmitiu-nos a paixão que tem pelo Douro e com a sua maneira filosófica de ver a vida conseguiu apaixonar alguns de nós por o que o douro representa. E a paisagem desta quinta? Soberba.


Muitas mais fotos e mais belas haveria para mostrar mas ainda estão na máquina. Esta paisagem merecia fotos com qualidade superior ao telemóvel mas primeiro que estejam no computador vai ser uma eternidade....

No domingo, e já com chuva, fizemos a visita ao Museu de São João de Tarouca e ao Mosteiro de Salzedas. Neste mosteiro era onde moravam os monges de Cister. Seguimos viagem até à Régua onde almoçamos na Tasca da Quinta, se forem à Régua não deixem de almoçar ou jantar lá, um dos melhores restaurantes de tapas que já fui. Para terminar este fim de semana fomos ao Museu do Douro onde é explicada toda a riqueza e cultura desta região, como não podia deixar de ser. 

sábado, 2 de maio de 2015

Inspiration Style - calças há boca de sino (ou flare jeans para ser mais chique)

Flare jeans <3

cute outfit with flared jeans

This week and last I’ve been talking about different styles of pants and how to wear them.

This is cute.. I love the top

Add some flare. // flare jeans // bootcut // bell bottom // wide leg // denim // jeans // ripped // torn

flair jeans

É verdade que não favorecem toda a gente. Favorecem apenas quem é alto e magro, de preferência com anca larga. Mas também é verdade que nessas pessoas umas calças flare ficam muito bem. Eu usava e abusava dessas calças há para aí uns 13 anos, quando era bem mais magra que sou hoje (menos 7/8 kg) e hoje se voltasse a estar na forma que estava nessa altura investia numas. 


sexta-feira, 1 de maio de 2015

Let's take a break (thank's God!!)

His and her bracelets lets us share great memories.

Bem precisamos querido M. depois destes longos meses de preparação para o teu exame. Digamos que agora "show must go on" e está na altura da vida andar para a frente...