sábado, 23 de abril de 2011

O raio da minha cabeça


Não sou uma pessoa fácil, que não sou. Às vezes gosto de complicar. Passo tempos infinitos a querer ir de férias, a planear, a suspirar, até que quando elas chegam parece que não me apetece ir. A estas em particular. Amanhã é o dia de Páscoa, não é isso me diga alguma coisa, o compasso e coisas assim, mas é sempre um dia para estar com os meus padrinhos e as minhas primas e este ano não vou estar. Além disso custa-me sempre ausentar e deixar a minha mãe sozinha. Ela não está sozinha, tem montes de gente em redor dela, até fica mais sossegada sem a Cat a chatear-lhe a cabeça, mas pronto angustia-me pensar que lhe pode acontecer alguma coisa e eu não estou cá (nem vou sair de Portugal, imaginem as minhas paranóias quando saio!). Estas coisas não são nada saudáveis, eu sei, mas esta minha cabeça ganha vida própria às vezes e não pára de chatear-me. Por outro lado sei que vão ser muito importantes para mim e para o M. estes dias longe de tudo e de todos. Com os nosso horários complicados (principalmente o meu), as obras da nossa casa e outras responsabilidades, quase não temos tempo para estar só os dois sossegados a um canto a pensar em nada e a fazer nada... vai ser bom! (Se a minha cabeça portar-se bem e não me chatear muito.)

Ai ai que medinho


Amanhã a Cat aqui vai andar de avião. Sozinha... que medinho. É a primeira vez sozinha. Não vou dizer que andar nas alturas me aterroriza, chego até a dormecer às vezes, mas também não é o meu meio de transporte favorito. Como costumo viajar com o M. e com ele sinto-me sempre segura (pravoice mas pronto!) amanhã vai ser uma experiência nova. A motivação é o M. estar à minha espera e fazer esta viagem para encontrar o meu amorzinho.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Dizem que Portugal está em crise

E eu digo que não me parece. O Algarve vai estar com lotação esgotada no fim de semana. Um jogo importante da Taça de Portugal entre o Porto e o Benfica é transmitido na Sport TV (também conhecida por "televisão dos ricos") e a mais espectacular, enquanto o senhores do FMI e da Troika (que nome fantástico não acham?!) trabalham para ver se isto não vai tudo à falência os senhores funcionários públicos tiveram tolerância de ponte esta tarde. Como é possível isto minha gente?! É como eu já aqui referi... é cultural e quando assim é, não há nada a fazer.

*Atenção que eu contra mim falo: no domingo rumo ao Algarve, a Sport TV habita em minha casa (infelizmente) e tomara eu não trabalhar num shopping e gozar esta, e todas as outras, tolerâncias de ponte. Mas que está errado, está.

A melhor da semana

- "Vocês vendem óculos sem gradiação?"

Fiquei sem perceber se a senhora não queria óculos com grades, modelos que desconheço para ser franca, ou se queria usar óculos sem graduação com finalidade puramente estética... Muito animado o meu trabalho como podem ver.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

sábado, 16 de abril de 2011

Ontem

Fui ouvir o Eurodeputado Carlos Coelho a falar sobre a Europa. "Que seca" devem estar vocês a pensar, e eu também achava que seria, mas por acaso foi bastante ilucidativo, principalmente numa altura como esta em que se ouve falar tanto da UE. De facto deve ser chato para um país como a Finlândia, a Alemanha e outros assim estar a disponibilizar tantos euros para ajudar um país como o nosso que devido hà má governação da classe política se encontra no estado em que está. Mas isso faz parte da União. Temos que ser uns para os outros. Quando Portugal, em plena crise económica, emprestou uns largos milhares à Grécia fez-me um bocado de confusão. Tanto se previa, como está mesmo a acontecer, que seríamos nós os próximos a precisar que sentido fazia estarmos a descapitalizarmo-nos?! Mas aí é que está o interesse de tudo isto. Se queremos parecer "uma família" temos que ser uns para os outros, hoje Portugal amanhã (nunca se sabe o que a vida nos reserva) pode ser a Finlância a precisar de nós e aí pode ser que a história se reverta.

Se tivesse no lugar deles também ficava chateada, andam eles a trabalhar de sol a sol, a amialhar para depois terem que emprestar a uns preguiçosos como nós que queremos é dormir muito, comer muito, férias... muitas, mas trabalhar, que é bom, pouco. É cultural amiguinhos, é cultural.

Ai esta falta de inspiração...

domingo, 10 de abril de 2011

Que bom que foi


Passar o dia de ontem com o meu querido M. Como eu gosto do meu namorado... É uma coisa impressionante. Cada dia que passa gosto mais dele... Ele é o meu vício, a minha maior alegria nesta vida. 

*Foi o meu momento lamechas do dia, sorry!

E sai uma astenose aórtica para a minha avó óh faz favori




Com direcito a intervencão cirúrgica de risco moderado/elevado e tudo. O menu completo portanto. Não gosto nada de grandes operações... nada de nada.

4 semanas depois...

Parece que está tudo pronto para começar a colocar os revestimentos.... azuleijos, tectos falsos, soalho... Acho que agora é que vai começar a grande dor de cabeça! Por mim contratava a fada madrinha da Cinderela para fazer "sala catunga mexe catunga digididogididum...." e estava pronto, podia ver o resultado final. A paciência e a calma são mesmo umas virtudes (com as quais eu fui pouco abençoada).

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Diz que Portugal pediu ajuda externa

E eu digo FINALMENTE. Estavasse mesmo a ver que esta situação não nos ia levar a lado nenhum. O discurso do Socrates é absolutamente derrotista e prima pela vitimização. Parece que a culpa disto tudo é da oposição que não aprovou o PEC 4, como se a não aprovação não fosse um sinal da má gestão política do governo que temos. Por outro lado o Passos Coelho, com um discurso bastante optimista tentou fazer ver aos portugueses que isto não é um fim de linha, mas um início. Vamos ter que "apertar ainda mais o cinto" mas pelo menos com um objectivo bem definido e com um fim à vista (nem que seja daqui a alguns anos). Não como até agora... aumentar, aumentar, aumentar impostos e cada vez a estarmos pior. But... it's just my opinion.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Parabéns F. C. Pooooooooooooorto


Actualmente não é que ligue muito a futebol (nem o nome dos jogadores do Porto sei) mas não posso deixar de ficar contente quando o meu clube é campeão. E, obviamente, festejar na casa do adversário tem um gosto especial. Aquele apagão das luzes é que não havia necessidade... foi feio! Eu até sei que se fosse ao contrário faziam o mesmo, mas revela mau perder. Não há maneira é de convencer o M. a mudar pro Porto... podíamos ser tão felizes juntos nestes momentos mas não, se eu fico contente ele fica triste e vice-versa. Não há nada a fazer... Mas o que eu mais gosto no futebol é o convívio com os amigos e ver como um mesmo lance tem interpretações tão diferentes conforme o clube. Às vezes chego a pensar que as pessoas não estão a ver o mesmo jogo... é espectacular, divirto-me à grande!

sábado, 2 de abril de 2011

Amanhã


É dia de passeio de mota, se S. Pedro permitir claro está. Eu e o M. somos uns motards muito amadores, assim como os nosso amigos, embora alguns deles já tenham ido a Marrocos de mota. Na verdade não somos os verdadeiros motards de tatuagens e lencinho vermelho ao pescoço, mas gostamos de dar ums passeios em duas rodas. Para mim é mais uma maneira de conviver com os amigos, e o M. gosta de andar de mota por isso lá vamos nós para mais um passeio amanhã. Espero que o tempo esteja bom e corra tudo bem. Depois do estúpido acidente de hoje é melhor benzer antes de sair de casa, é que na mota o pára-choques são as nossas perninhas, ai ai!

E esta hei?!


Ontem ouvi uma conversa hilariante no café. E não, não fiz nenhuma questão ou esforço para ouvir, as senhoras é que falavam alto e em bom som. Tudo começou com um telefonema algo deste género:
 -Olá x estás bom?
....
- Olha este mês preciso que pages a prestação do carro.
....
- Tenho aí umas merdas para pagar e se não pagares tu estou f*d*d*.
....
- Então pensa e logo liga-me tá bem? Mas só a partir das 9:30 que vou pró ginásio.

Hilariante. Mas melhor foi quando, no final do telefonema, a amiga disponibiliza-se a emprestar dinheiro a esta pobre senhora e ela lhe responde:

- Achas? Às amigas tem que se pagar dinheiro emprestado, ao ex-marido não. Ele já sabe que nunca mais o vê. Só se me sair o euro milhões.

E é esta a mentalidade desta senhora. E agora eu pergunto, onde  é que está o amor próprio? É muito triste depender do marido para pagar as contas, mas do ex-marido é ridículo. E ele é muito burro se lhe faz as vontades. É que além de não se controlar nas suas despesas ainda vive "às costas" do ex-marido, e tem orgulho nisso pois comenta bem alto no café. Não compreendo. 

Havia de chegar o dia que ia ter um acidente e chegar atrasada ao trabalho

Hoje foi o dia. Basicamente tinha duas opções: atropelava os peões que (se meteram à campeões na passadeira) iam na passadeira ou travava a fundo. Como não quero ser responsável por a morte de ninguém travei a fundo. O carro que ia atrás de mim também parou mas o carro atrás dele bateu nele que, consequentemente, bateu em mim. Que falta de sorte, estava mesmo a chegar ao trabalho! Foi o meu primeiro acidente sabia lá eu o que tinha que fazer. Valeu-me o M. e o bom senso do condutor do terceiro carro que assumiu imediatamente a culpa. Mas não foi bom, nada bom. (principalmente quando temos uma loja para abrir que se não abrir a horas paga uma multa jeitosa. Como ainda faço 30 km de casa ao trabalho venho sempre com o coração nas mãos para não me acontecer nada e abrir a horas). O meu monstrinho lindo ficou amassadinho, tadinho!